Ora direis ouvir estrelas…diante de um presente único e personalizado

Olavo Bilac não conheceu o Mapa do Meu Céu, mas desenhou com estrelas o amor que sentia.

Um dos maiores poetas brasileiros, Olavo Bilac (1865-1918) é autor de um poema que tem tudo a ver com os apaixonados e que contém verso que expressa a emoção de amar e ser amado: “Ora (direis) ouvir estrelas...”.

É esse sentimento de ouvir estrelas, quase tocá-las na imensidão na visão do escritor, que muitos certamente sentem quando o amor se torna real. Deixa de ser sonho e, nesse momento, tem o céu como testemunha.

Foto divulgação de Olavo Bilac

 

O soneto XIII da obra Via Láctea publicado em 1888 no livro Poesias, marcou a estreia do escritor na literatura e revela o amor que sentia:

Ora (direis) ouvir estrelas! Certo
Perdeste o senso!” E eu vos direi, no entanto,
Que, para ouvi-las, muita vez desperto
E abro as janelas, pálido de espanto…

E conversamos toda a noite, enquanto
A via-láctea, como um pálio aberto,
Cintila. E, ao vir do sol, saudoso e em pranto,
Inda as procuro pelo céu deserto.

Direis agora: “Tresloucado amigo!
Que conversas com elas? Que sentido
Tem o que dizem, quando estão contigo?”

E eu vos direi: “Amai para entendê-las!
Pois só quem ama pode ter ouvido
Capaz de ouvir e de entender estrelas.”

Só quem ama é capaz de ouvir e de entender as estrelas segundo o poeta. Diríamos mais: de presentear quem se ama com o mapa das estrelas  do dia em que esse sentimento mágico aflorou.

Hoje, imortalizar o momento, esse sentimento único por meio do céu quando que se desenhou na imensidão no dia inesquecível de um encontro que muda o rumo de nossas vidas, não só é possível, mas também desejável. Basta enviar os dados que o resultado surgirá como mágica, celebrando esse momento num belo pôster.

Presente único e personalizado, o Mapa do Meu Céu, permite que você possa dizer para o namorado ou namorada que, de fato, ouviu estrelas e as desenhou para celebrar o amor como o fez o imortal Bilac.